5 dicas para um backup que vai te salvar

No nosso primeiro post (se tu não leu, clica AQUI pra ler), falamos sobre como temos o desafio de mudar uma cultura onde a informação deve ser valorizada em uma empresa, tanto quanto os bens físicos que a mesma possui. Por isso, naquela hora em que nos damos conta de que apertamos o botão errado (O “DEL” no caso), ou movemos o arquivo para um lugar que não sabemos, ou alteramos algo que não podia e salvamos em cima, aqui vão 5 dicas matadoras pra que você não se desespere (mentira, no primeiro momento você vai sim estar desesperado) e possa restabelecer tudo sem nenhum tipo de dano maior.

DICA 1: MANTENHA TUDO EM UM SERVIDOR (mesmo que seja uma máquina comum).

A primeira dica é manter os arquivos ou informações que fazem parte do seu negócio em um lugar centralizado. As vezes, dependendo da capacidade financeira da empresa, não é possível investir em um servidor dedicado para este fim. Mas o ponto é que para um primeiro nível de segurança e controle, você pode sim manter suas informações armazenadas em um computador comum de uso diário. Isso vai facilitar inclusive na hora de planejar suas rotinas de backup.

DICA 2: FAÇA UM “SANEAMENTO” DO QUE É MAIS IMPORTANTE

Acredite, a maioria de nossos clientes não precisam de que tudo o que armazenam faça parte das rotinas de backup. As vezes, pela rotina corrida do dia a dia, acabamos salvando o mesmo arquivo em locais diferentes, ou com nomes diferentes. Antes de estabelecer como será sua rotina de backup, faça um pente fino em tudo que você tem, pra que somente o que é mais importante e não pode de maneira alguma ser perdido, esteja configurado na hora de realizar a cópia.

DICA 3: ESTABELEÇA UMA ROTINA

Rotinas as vezes podem ser chatas, mas esse não é o caso quando o assunto é backup. Manter uma rotina de backup, significa que estará planejado como seu backup será feito. Defina os dias da semana e os horários em que eles devem ser feitos. Os principais tipos de backup são: Full (onde tudo que tem em determinado local é copiado integralmente) e Differential (onde só é copiada a diferença em relação ao backup Full). Ou seja, se você estabeleceu na sua rotina que o backup Full ocorrerá toda segunda-feira às 18h, neste dia e horário ele copiará tudo que foi configurado. Nos demais dias da semana, você configura backups do tipo Differential, isso significa que nos outros dias, ele vai copiar só aquilo que é diferente daquela cópia Full realizada na segunda-feira às 18h, conseguiu entender? Pode parecer um pouco confuso no início, mas faz todo o sentido, e principalmente, toda a diferença na hora do aperto.

DICA 4: ESCOLHA BEM O SEU SOFTWARE DE BACKUP

Existem diversos softwares de backup desde os mais avançados que requerem conhecimento profissional específico, até os mais simples que são configurados de forma intuitiva e com apenas alguns cliques. Alguns softwares são gratuitos, como o Cobian ou Acronis. Também existem opções de salvamento de arquivos e informações em nuvem, através de plataformas como o Google, Microsoft, Dropbox, entre outras. É importante observar, na hora de definir, se o software ou a plataforma que você está optando, atende a sua real necessidade.

DICA 5: MANTENHA CÓPIAS FORA DO LOCAL DE ORIGEM

Talvez uma das dicas mais importantes é esta. Copiou aquilo que precisava? Tire do local onde os arquivos originais são salvos, ou seja, não copie para pastas dentro do mesmo servidor/computador, ou por exemplo, não copie para um HD Externo, e deixe o mesmo dentro da gaveta da mesa onde o servidor/computador fica instalado. Backups só tem esse nome quando podem ser usados, ou seja, precisam estar íntegros para cumprirem sua função. Se copiou para um HD Externo, leve ele para outro local. Ou, copie para a nuvem, ou para estruturas de empresas especializadas neste tipo de serviço.

E aí, curtiu essas dicas? Não esqueça que nós temos uma solução de backup que é projetada exatamente para a sua demanda, onde além da cópia ser realizada para uma estrutura fora do cliente, nós também replicamos nossas cópias criptografadas para servidores em nuvem, bom né?

No próximo post, o assunto é firewall e principalmente, se vale a pena investir nesse tipo de serviço em micro e pequenas empresas.

Abraços e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *